sexta-feira, 22 de abril de 2016

E hoje faz 5 anos...


“Que tédio!!”, reclamei. Um mês solteira e sozinha por mais um fim de semana.  

Não que eu quisesse um namorado novo, claro que não (Deeeeeus me livre!), mas meu ex conseguiu me colocar como a vilã da situação novamente e nossos amigos, com dó, o chamaram para todas as festas e eventos, e eu fui excluída. Fiquei revoltada no começo, pois me sentí meio traída, abandonada, já que pessoas nas quais eu confiava de olhos fechados se afastaram de mim para apoiar o ex. É claro que eu não demonstrei o rancor, né?! Fui para a faculdade o mês inteiro, conversando com todos, fingindo que nada havia acontecido. Meu ex nem olha na minha cara. Semana passada berrou comigo em público dizendo coisas do tipo “Eu corri atrás de você! Por que você não corre atrás, também??” ou “Você está feliz pelo término, pois agora pode sair com os seus machos!!”, etc etc. 

Mas dessa vez eu pensei diferente! Eu sempre fui muito sonhadora! Sempre planejei meu sucesso e nunca neguei a minha vontade de aprender a falar outras línguas e me mudar para a Europa! Por que não começar naquela noite, já que a única coisa que me impedia de concretizar meus sonhos havia desaparecido há mais de um mês?? Victor, um amigo meu da faculdade, já tinha comentado sobre um videochat no qual você conseguia conhecer e conversar com pessoas de todos os lugares do mundo. Eu já tinha experimentado uma vez e não tinha achado muito interessante, porém algo me dizia que eu deveria tentar novamente… “Vou usar para treinar inglês. Preciso sair desse país o quanto antes e começar a realizar os meus planos…”- eu repetia para mim mesma. “Vai dar certo, eu sei que vai!”.

 Peguei uma garrafa de Heineken, abri o laptop e entrei no tal site. O único problema desses videochats, é que se encontra muito homem canalha querendo exibir as partes íntimas para todo mundo da internet! A cada canalha que aparecia, eu clicava em "Next", assim a próxima câmera se conectava, e eu começava a conversar com a próxima pessoa que aparecia. Depois de duas horas, quatro Heinekens e muitos cliques no "Next", ele apareceu na tela. Cabelos longos e alaranjados, olhos verdes acinzentados e meio fechadinhos, aparentava estar tão embreagado quanto eu. Usando uma camiseta preta com o nome de uma banda de heavy metal que, por acaso, eu também gostava muito. Abri um sorriso e ele sorriu de volta. "Que menino lindo..."- pensei. 

 Levantei meu braço direito para a câmera mostrando que estava bebendo, e ele, sorrindo, levantou o braço também, mostrando uma garrafa de uma cerveja que nunca tinha visto antes.  Resolvi então tomar iniciativa e comecei a escrever em inglês:

-Gostei da camiseta.

-Você gosta de metal? - perguntou, aparentemente surpreso.

-Adoro, na verdade estava ouvindo até agora há pouco. De onde você é?

-Adivinha... - ele desafiou, bebendo mais um gole de cerveja.

Parei para analisar, "Hm... ruivo, alto, ombros largos, essa barbicha longa, parece um lenhador..."

-Alemanha? - falei o nome do primeiro país que me veio à cabeça. 

-Nossa, certinho! Moro num vilarejo na Alemanha, quase divisa com a Holanda... 

"Uau, Alemanha! Holanda! Vilarejo!!!" - pensei, imaginando o quão longe da minha realidade tudo aquilo era... 

 Naquela noite a conversa fluiu por mais de 4 horas e eu vi pela primeira vez na vida, através de uma tela, o Sol nascer na Alemanha. 

Hoje faz exatamente cinco anos que tudo isso aconteceu. Eu sei, parece conto de fadas, novela mexicana, Maria Mercedes. Mas dessa vez foi real. E isso é só um pouquinho da história que mudou e vem mudando minha vida todos os dias até hoje, espero que em breve vocês possam ler tudo na íntegra, quem sabe em um livro? A gente nunca sabe o dia de amanhã, não é mesmo? 

" Roman, meu amor, sou eternamente grata por ter te conhecido, você me faz ser uma pessoa melhor a cada dia. Eu te amo muito! Obrigada por existir!" 



Bis Bald! :) 

domingo, 20 de dezembro de 2015

O que vestir no inverno europeu - Especial de fim de ano

Oi gente! Tudo bom com vocês?
Faltam poucos dias para o natal e estou recebendo muitas mensagens de pessoas me perguntando o que vestir, o que usar, primeiro natal com uma família alemã, todo mundo entra em desespero hahahaha.
Pensando nisso fiz uma coletânea de fotos no pinterest para ajudar cada um em sua ocasião. Vamos lá?

Festa casual com uma família alemã
Na minha primeira festa de natal eu fui mais chique e percebi que exagerei no visual. Sabe aquele estilo super clichê de festa de natal americana que a gente vê nos filmes? Aqui a regra prevalece pois o importante é se manter aquecida.
Uma calça jeans, botas de montaria, suéter e você já estará pronta para a festa!


 Estampas xadrez também são super populares nessa época, pois você encontra em camisas flaneladas, perfeitas para o frio na Europa!


Esse tipo de roupa combina tanto para as magrinhas, quanto para as mais "carnudas" (como eu hehe)



Festas mais formais
Dependendo da família, eles planejam ceias e festas de natal em locais mais formais, um restaurante, um cruzeiro no rio Reno, um vestido com uma cor vibrante, meia fio 80 e um salto já te deixa preparada pra noitada!


Caso não queira abrir mão da calça, coloque uma blusa com um corte mais formal, mangas 3/4 e um maxi colar para tirar o tédio.


Ano novo
Estou super empolgada para o ano novo, pois faremos uma baita de uma festa para mais de 20 pessoas e soltaremos fogos na rua. Como a festa será em um jardim de inverno, vou ter que prestar mais atenção na hora de me proteger do frio.
Nas lojas alemãs ultimamente tenho visto várias mini saias estilo "Bodycon" (que se ajusta ao corpo) com paetês ou tecidos lisos. Eu tenho uma preta e estou pensando em usá-la com um suéter vermelho e botas.
Dica para neutralizar aquela saia super chamativa, misture com cores fracas como cinza, creme ou rosa pastel. Assim não fica exagerado, e você está pronta para qualquer ocasião.




Outra opção que eu tenho é usar um vestido "boho" (meio hippie) com um casacão, botas over the knee e meia fio 80. Assim que eu definir o look, posto aqui para vocês!


(Você pode encontrar looks similares à esses em lojas como C&a, H&M, Primark e várias outras fast fashions da Europa. Fonte das fotos: Pinterest)
Lembrando que o importante é se sentir confortável, ninguém fica chique quando não se sente bem. Agora contem para mim! Como vão passar as festas de fim de ano? Um ótimo natal para vocês e nos falamos em breve!

Bis Bald


segunda-feira, 30 de novembro de 2015

Sinais de que seu namoro virtual pode não dar certo...

"Jéssica conheceu Mark em uma sala de bate-papo. Ela é de Minas Gerais, filha única, bem criada. Ele é britânico, já viajou o mundo, disse que mora em Roma. Menos de um mês depois da amizade virtual começar, Mark já se declarou e fez juras de amor. "Você é a minha princesa! O Sol da minha vida! Meu verdadeiro amor!", dizia Mark. Jéssica, que acabou de sair de um relacionamento cheio de problemas, ciúmes e muitas brigas, acreditou na palavra de Mark e resolve cair de cabeça nesse relacionamento.
Os pais de Jéssica não aprovam, afinal, Mark é muito misterioso. Apesar de se declarar com as mais lindas palavras todos os dias, ele omite informações básicas como sobrenome, perfil do facebook, evita falar com a câmera ligada e nunca, NUNCA fala sobre sua família. Já Jéssica ignora, acredita nas desculpas de Mark, ela quer acreditar, ela PRECISA acreditar.
Jéssica brigou com os pais, gastou suas economias, tirou o passaporte, comprou malas, na espera da carta convite do seu amado para embarcar nessa aventura.
Mark foi se afastando, não enviou carta convite, usou a diferença de horário como desculpa para não ficar online, e com isso, o sonho de Jéssica foi se apagando e a decepção, aumentando...
Depois de um tempo tentando se recuperar do trauma, uma amiga de Jéssica encontrou o tão misterioso facebook de Mark. Lá seu status está como casado, tem 2 filhos e mora EM LONDRES."

Troque o nome Jéssica por Maria, Amanda, Manoela, Joana e você entenderá que esse tipo de situação é mais comum do que se imagina.

Sei que na maioria das vezes a gente fala "Ah não, mas comigo isso jamais aconteceria!", e foi pensando nisso e nos inúmeros pedidos de ajuda que eu recebo por mensagem todos os dias, pedidos esses de meninas desesperadas e apaixonadas que não sabem o que fazer quando o amado virtual se distancia, que eu resolvi fazer essa listinha chamada...

SINAIS DE QUE SEU NAMORO VIRTUAL PODE NÃO DAR CERTO


- Declarações de amor rápidas demais.


Quando eu conheci o Roman, apesar de toda a correria com a mudança depois de assumirmos o relacionamento, o caminho para esse relacionamento se concretizar foi muito lento, mais lento do que se pode imaginar. Nós mantivemos uma amizade virtual por um ano inteiro até assumirmos nossos sentimentos, e só oficializamos nosso namoro depois de eu passar duas semanas na Alemanha, para ter certeza de que queríamos a mesma coisa. Óbvio que nem todos os homens do mundo são iguais ao meu marido, mas tanto em relacionamentos pessoais quanto virtuais, declarações rápidas demais sempre são motivos de desconfiança.
Pense assim, se você está andando na rua e um homem que você nunca viu na vida fica de joelhos na sua frente, declara o amor por você e te pede em casamento. O que você faz? Exatamente, sai correndo!!!!
Então se você trombar o Don Juan online, faça o mesmo e fique longe de encrencas.

- Ele sabe tudo sobre mim e eu não sei nada sobre ele.


Brasileiro é um povo muito aberto. Cinco minutos de conversa comigo e você já sabe o nome do meu marido, da minha mãe, da minha vó, a cor da minha calcinha, e assim a conversa se segue. Óbvio que certas culturas são mais reservadas e alguns europeus são conhecidos por gostar de manter a privacidade, mas tudo tem um limite. Uma pessoa que coloca as caras na internet para conhecer pessoas e se abrir para um relacionamento virtual, naturalmente vai estar mais aberta para compartilhar informações básicas pessoais com a pessoa a qual está interessada em se relacionar.
Se você pergunta coisas simples e ele desconversa, responde uma coisa em um dia, e contradiz a própria história dias depois, ABRA OS OLHOS. Ninguém gosta de gente mentirosa, e um estrangeiro que se contradiz ou omite informações mesmo te dando a entender que quer algo sério com você, então é melhor colocar a razão na frente do coração e pensar bem se deve ou não seguir o relacionamento.

- Ele dá sumiços, desaparece por dias e depois volta como se nada tivesse acontecido.


A internet caiu? Tem 3G. O 3G não funciona? Tem internet grátis na Starbucks mais próxima. O celular quebrou? Usa o tablet! Não tem? Usa o computador! Não tem? Manda um email do trabalho. Sinal de fumaça, ligue de um orelhão! Como uma sobrevivente bem sucedida de um relacionamento à distância, eu insisto, QUEM QUER, ARRANJA UM JEITO. Se o cara está interessado, se ele gosta de você, se ele está tão apaixonado como diz estar, ele não vai dar sumiço. A presença virtual no relacionamento à distância é um ponto crucial para saber se o namoro vai dar certo ou não. Você precisa estar presente virtualmente para suprir com palavras a falta que a presença da pessoa faz. Se o cara desaparece e não se preocupa em dar notícias para a tal pretendente, meio que parece descaso, que ele não se importa se a menina sabe por onde ele anda ou não.

- Ele me pede dinheiro OU gosta de falar sobre o quão rico ele é.


NUNCA DÊ DINHEIRO PARA UMA PESSOA QUE VOCÊ SÓ CONHECE VIRTUALMENTE. Não importa se ele disse que te ama, que te adora, que vai usar o dinheiro para comprar uma casa nas montanhas para vocês viverem felizes para sempre, NÃO CAIA NESSA. Bandidos abusam da inocência e carência alheia para tentar tirar dinheiro dessas pessoas. MUITAS MULHERES JÁ CAÍRAM NESSE GOLPE, não seja mais uma!
Se ele se gaba da riqueza, te envia fotos com coisas luxuosas, carros, te oferece essa riqueza, diz que um dia tudo isso será seu também, VOCÊ PROVAVELMENTE SERÁ VÍTIMA DE OUTRO GOLPE. Eles usam os artigos de luxo para chamar a atenção de mulheres mais novas sem condições financeiras e muitos sonhos. Eles pagam a passagem, pagam o passaporte, trazem a mulher para a Europa, tiram o passaporte dela e a colocam como escrava em casas de prostituição usando a desculpa de que darão o passaporte de volta somente quando ela trabalhar o suficiente para pagar os gastos que eles tiveram para trazê-la para cá. Eles tem lábia e fazem você acreditar que tudo isso é um conto de fadas, mas na verdade pode ser a chave para abrir a porta dos seus piores pesadelos...

- Ele tem múltiplos perfis no Facebook, Instagram e outras redes sociais.


MENTIROSO, CANALHA, SAFADO! Qualquer pessoa que tem duplo perfil com diferentes status de relacionamento já tem um sinal de "CILADA" estampado na testa. Pode parecer estranho, mas para a sua própria segurança, pesquise! Eu pesquisei por meses e meses o nome do Roman até ter certeza de que ele estava sendo sincero comigo. Pesquisei tanto que virei mestre nessa arte e hoje em dia ajudo leitoras que estão desconfiadas do namorado virtual e, juro para vocês, já encontrei taaaaanto pilantra que fica difícil ter fé na humanidade. Pesquise, procure, e-mails, nome completo, apelidos, se você não se sente segura, corra atrás e tire todas as pulgas da orelha. Antes você se decepcionar no Brasil e continuar levando a vida como sempre do que chegar na Europa sem amigos e descobrir que aquele príncipe encantado era na verdade um porco chauvinista.

Espero que tenham gostado dessas dicas, compartilhem se você acha que alguém que você conhece possa estar passando por algo assim. Lembrando que muitas histórias tem finais felizes, mas todo cuidado é pouco nesse mundo com tanta gente mal intencionada. Fiquem bem e até a próxima!

Bis Bald!



quarta-feira, 25 de novembro de 2015

Sonhos de infância...

"Querido diário,
Hoje eu sonhei que nevava aqui na minha rua. O menino pelo qual eu estou apaixonada vinha aqui em casa me buscar com um trenó e passávamos o dia todo brincando na rua. Fiz um boneco de neve, brincamos de guerra de bolas de neve e até deitei no chão para fazer um anjinho. Realizei mais um sonho sonhando. Perguntei para a minha mãe o por quê de não nevar no Brasil. Ela disse que é melhor assim sem neve, pois se nevasse, muitos moradores de rua morreriam de frio. O jeito é me mudar para algum país que tenha muuuita neve. Estados Unidos? Ou talvez Romênia? Imagina que lindo morar na Transilvânia... [...]" (Diário da Jade, 1998)

É complicado pensar no passado sem relembrar momentos traumáticos. Eu mesma tento apagar da minha mente momentos muito ruins que passei na infância, mas a minha casa era meu porto seguro (ainda é) e lá eu tive meus maiores sonhos e planejei as realizações dos mesmo até conseguir alcançá-los. Um desses sonhos era ver a neve e, quem diria, cá estou eu enfrentando meu terceiro inverno alemão. Pensando nisso resolvi reviver minha lista de sonhos de infância, contar os que consegui realizar nesses meus 27 anos e me esforçar para realizar os que ainda não aconteceram.
Eu indico esse exercício psicológico para todos aqueles que estão se sentindo perdidos e não sabem qual rumo tomar no momento (seja financeiramente, emocionalmente ou profissionalmente).

**Sonhos realizados**

1-Morar na Europa.
Esse provavelmente foi o maior objetivo já traçado por mim, e eu encho meu peito de orgulho quando penso que realmente o cumpri. Dentro desse sonho se incluíam vários mini sonhos, como por exemplo aprender novos idiomas, viajar de avião, visitar uma floresta igual à do Peter Rabbit (por obra do destino, calhou de eu morar ao lado de uma), visitar a Torre Eiffel usando um chapéu de madame, ver a casa da Anne Frank (livro favorito desde que eu me entendo por gente), etc. 
Na floresta do Peter Rabbit, do lado de casa...

Em Paris com um chapéu de madame

Fazendo um boneco de neve :)

2-Cantar em um palco.
Quando minha vó Naná foi embora, eu sentia que precisava de algo para sair de casa pelo maior tempo possível durante os fins de semana. A falta dela na minha casa foi e ainda é muito grande e um vazio me invade ao pensar nisso. Por isso, para evitar pensamentos negativos e deixar a passagem da minha vó mais pacífica, eu resolvi soltar o berro e começar a cantar. Encontrei na época uma banda cover da minha banda favorita e por quase 2 anos tocamos toda sexta e sábado em vários clubes de São Paulo. Me encontrava em palcos com mais de 100 pessoas na platéia me olhando e cantando junto comigo. Melhor sensação ever! Parei pois comecei a planejar a vida fora do Brasil, e com isso não tive mais tempo para ter banda.
Cantando com a banda em 2010

3-Ter um trabalho bom e ganhar meu próprio dinheiro
Isso foi um plano traçado junto com a minha mãe, que se sacrificou para que eu chegasse à situação profissional em que eu me encontro hoje. Não digo que estou 100% completa pois ainda falta muito para eu me realizar nesse quesito, mas depois de muito esforço, posso dizer que estou no caminho certo.

4-Viver a vida como em um seriado americano
Okay, eu sei que parece ridículo à primeira vista pensar em algo desse tipo, mas a mini Jade sempre viveu sonhando que morava em um filme, uma comédia romântica, um sitcom. E a mini Jade prometeu pra si mesma que moraria num apartamento com cozinha americana, decorações aleatórias, amigos espontâneos e muitas risadas todos os dias. Bom, meu apê tem sim uma cozinha americana, meus amigos vem pra cá depois do expediente as vezes (menos do que eu gostaria) para bater um papo, beber uma cerveja, o Roman é a melhor companhia quando se quer dar risadas, principalmente pelo fato de que temos o mesmo tipo de humor. É, acho que a mini Jade ficaria feliz com a vida que a Jadona conseguiu até agora.
Visita dos amigos aqui em casa em 2014
Vanessa, Ricardo, Cris, Teresa, Fabio, Ju e Elaine na festinha brasileira que eu fiz há alguns meses

**Sonhos que ainda preciso realizar**

1-Viajar para os Estados Unidos
Esse é um sonho que, mesmo que eu realize e o repita várias vezes, ainda continuarei achando que foi um sonho. Vou contar um segredo para vocês:
Quando eu vou assistir algum filme da Disney, eu pulo a introdução pois não consigo assistir aquela vinhetazinha mostrando o castelo da Cinderella (e tocando pararaaa para paraaaaaa). SE EU ASSISTO AQUILO EU CHORO LITROS. Estou super positiva e sei que esse sonho vai se realizar. Eu vou pros EUA, vou pra Disney comer uma turkey leg e abraçar o Mickey. Vou pra um rodeio no Texas. Vou pra NYC e comerei uma maçã caramelada no Central Park. Um sonho de cada vez...

2-Esquiar
Acredita que eu ainda não esquiei? Tem um clube de esqui aqui perto de casa, e esse definitivamente será um dos itens do meu "30 coisas para fazer antes dos 30 anos".

3-Escrever um livro
A mini Jade sempre escreveu muito. A mini Jade perdeu a conta de quantos livros ela tinha lido aos 10 anos. Pelo fato de eu ser a filha mais nova de uma família com 6 filhos, sendo meus 5 irmãos bem mais velhos do que eu, todos os livros que eles tiveram que ler na época da escola, ficaram abandonados em casa e eu os adotei. Li tudo. De coleção vagalume à Paulo Coelho. De livro de piadas ao Hobbit. Eu devorava todos os livros que eu via pela frente. Nesse tempo eu tentei escrever 3 livros. Uma ficção (abandonei), um romance (abandonei) e agora tenho planos de fazer um contando um pouco mais da minha jornada até a terra da batata. Esse eu não posso abandonar. ;)

Esse texto ficou mais longo do que eu imaginava, mas a moral da história é: NÃO PARE DE SONHAR! Realizou um sonho? Procure algo novo, um desejo, um objetivo, pois isso alimenta nosso coração e nos dá motivação para acordar, enfrentar aquela aula chata, aquele chefe chato, pois você sabe que está trabalhando para conseguir riscar mais e mais itens da sua lista de desejos.
Espero que vocês tenham gostado, pois eu compartilhei um lado muito pessoal da minha vida, mas sei que muita gente por aí passa pela mesma coisa, não custa nada ajudar. :)

Bis Bald!

sábado, 31 de outubro de 2015

Outono na Alemanha

Ah, o outono. Melhor estação do ano na minha opinião, abóboras por todos os lados, a cidade toda alaranjada, fresco o suficiente para usar uma jaqueta, mas com um sol que deixa a paisagem muito mais mágica. Estou na casa dos sogros e resolvi compartilhar umas fotos do outono com vocês. Espero que gostem! :) 
O nome da cidade dos sogros se chama Kürten, é um vilarejo bem pequeno no meio do nada, mas muito lindo. 


Viemos para cá hoje para o Roman trocar as rodas do carro. Todo outono trocamos as rodas normais para rodas de inverno, próprias para usar na neve.


Kürten fica entre as montanhas, aqui normalmente neva mais do que na minha cidade.



Parece um cenário de filme né? Gostaram? Desejo à todos vocês um maravilhoso Halloween com muita energia positiva! 

Bis Bald!






segunda-feira, 14 de setembro de 2015

Minha geração não nasceu para isso...

Hoje é segunda feiraaaaa, e acabaram as fériaaaas... (cantando)

Infelizmente minhas férias acabaram. Eu tirei uma semaninha para passear e aproveitar ao lado do Roman, e olha... valeu muito a pena! 


Resumo das férias, em breve vai ter vídeo!






















Fomos à um zoológico na Holanda, à um parque de diversões em Brühl, visitamos castelos, ruínas, cidades aqui perto de casa, mas tudo o que é bom dura pouco.

Sabe que depois de trabalhar 10 anos desenhando, projetando, engolindo sapo dentro de escritório, estou com dúvidas sobre se escolhi a carreira certa para mim. Eu sinto uma cobrança interna imensa e a Jade arquiteta me xinga de ingrata pois estou desanimada com o início da minha nova carreira depois de me matar para chegar na minha situação atual. Eu sei que é chato, mas que atire a primeira pedra quem nunca reclamou na vida! hahahahaha


Pesquisando sobre isso, me deparei com um estudo que fala sobre os maiores obstáculos os quais a "geração y" (nascidos entre as décadas de 80 e 2000) passa no mercado de trabalho. A nossa geração, diferente dos nossos pais e avós, que foram criados buscando uma estabilidade financeira, não está satisfeita em passar toda a vida trabalhando na mesma rotina. Nós fomos motivados desde a infância à usarmos a criatividade, à procurarmos respostas para todas as nossas perguntas, à sermos os personagens principais das nossas próprias histórias. 

Não acho que isso seja ruim, de alguma maneira essa mania de viver fora da zona de conforto nos estimula a sempre crescer mais, essa ambição na maioria das vezes acaba com bons resultados, porém pode também trazer frustração para aqueles que não alcançam tudo o que desejam. 

Uma coisa que eu aprendi com o tempo e apliquei isso em todos os momentos da minha vida até hoje é: "Gaste o tempo que você passaria reclamando dos problemas procurando por suas soluções".

Não está satisfeito com seu trabalho? O que você pode fazer com relação a isso?

Não está feliz com seu corpo? O que você pode fazer com relação a isso?

Não está feliz no seu relacionamento? O que você pode fazer com relação a isso?

Eu sei que é difícil pensar positivo quando o desânimo bate, mas reclamar dos problemas sem perspectiva de melhoria pode causar sérios problemas futuros e até te deixar depressivo. Infelizmente são nos momentos mais difíceis em que nos encontramos sozinhos e sem apoio dos outros para vencer os obstáculos. 

Enfim, ontem me bateu a deprê e eu passei o dia pensando em novas possibilidades para me sentir satisfeita profissionalmente e cheguei a uma conclusão. Não posso largar a arquitetura no momento, pois é meu meio de sustento e vou tentar dar uma chance à esse novo emprego que começará em outubro. Porém nada me impede de investir nos meus hobbies. Apesar de não aparecer nos vídeos, o Roman me apóia demais com o blog e é realmente uma coisa que me faz feliz. Eu gasto horas por dia respondendo mensagens, tirando dúvidas, compartilhando experiências, gravando, editando e escrevendo, e se eu tivesse mais tempo, investiria mais e mais. Aguardem novidades com relação ao blog, pois estou preparando surpresas quentinhas para vocês, e agradeço imensamente à você que leu até aqui.

Acredito que, de alguma maneira, eu tenha passado uma mensagem de motivação caso você esteja passando por isso, pois acredite, eu sei como é difícil levantar todos os dias de manhã para fazer algo que  não te faz feliz...

Espero que vocês tenham gostado, e caso queiram saber mais sobre minha vida aqui na Alemanha, CURTAM A PAGE DO FACEBOOK e SE INSCREVAM NO MEU CANAL.

A gente se fala em breve...
Bis Bald!

quarta-feira, 2 de setembro de 2015

Fazendo barraco no ônibus...

Oi gente, tudo bem com vocês?
Aqui está tudo bem, estou com a garganta inflamada e com atestado médico até quinta feira. Como na sexta eu saio de férias, estou aqui em casa tomando remédios e organizando tudo para sair de férias sem pepinos para resolver.

Mas enfim, a história de hoje é sobre uma situação muito desconfortável pela qual eu passei há alguns meses, antes mesmo da minha viagem ao Brasil.
Para quem não sabe, a Alemanha está de braços abertos para os refugiados, que nada mais são do que pessoas de baixa renda, que viviam em países os quais no momento estão passando por situações difíceis como por exemplo, a Síria. A Alemanha acolhe, dá moradia, uma quantia de dinheiro, escola para as crianças, e os deixa morar aqui até o momento em que a situação melhora, a guerra acaba, e eles podem voltar a viver em paz em suas respectivas terras.
Porém, muitos desses refugiados também são homens, nascidos no campo, muçulmanos, que nunca tiveram contato com a cultura ocidental. E é aí que a minha história começa...

Peguei o ônibus de manhã à caminho do centro da cidade, pois precisava comprar uns presentinhos para a minha família no Brasil. Estava calor, em torno de 29 graus e eu coloquei um short boyfriend (larguinho), uma camisa e uma sapatilha. Sentei no ônibus e, no ponto seguinte, subiram dois homens morenos e barbudos, dava pra ver que não eram daqui, pois observavam tudo com uma expressão de espanto. Quando de repente, o mais velho deles (e maior) olhou para mim, para as minhas pernas, fez uma cara de bravo, e continuou encarando (acho que pelo fato de eu ser morena, eles acharam que eu vinha do país deles também, e que de maneira nenhuma deveria usar short). Eu que odeeeeeio pessoas me encarando em locais públicos (sério, se eu tivesse uma capa da invisibilidade, usaria todos os dias ao sair de casa), olhei para o senhor fulano que estava me encarando e falei com uma cara bem séria:

- Was ist los??? (Qualé????)

Geeeeente, o homem ficou braaaaavo! Ele deve ter achado um absurdo uma menina dirigir a palavra à ele em um local público! Ele levantou do assento do ônibus, junto com o ciclano amigo dele, vieram pra cima de mim aos berros em algum idioma que eu não entendia, mas repetia uma única palavra em alemão enquanto apontava o dedo na minha cara:

-DRECKIG! DRECKIG! (Suja! Suja!)


Sabia que isso iria acontecer um dia...

Eu já estava brava pra caramba com toda aquela situação, abri a boca e comecei a berrar de volta:

-Aprenda a respeitar os outros seu homem mal educado! Aqui não é o seu país para você ditar regras! Eu faço o que eu quiseeeeerrrr!!! AAAAHHH!!!!

Nisso o caos estava formado, os dois loucos berrando comigo, eu berrando de volta, o ônibus inteiro se revoltou contra os caras e dois senhores alemães entraram na discussão para me defender. Os dois desceram no ponto seguinte xingando Allah e o mundo, e depois disso nunca mais os vi por aqui.

Eu repito antes que comecem os comentários xingando a Alemanha: ISSO NÃO É COMUM! FOI UM CASO A PARTE QUE ACONTECEU COMIGO, E SE VOCÊ SE MUDAR PARA A ALEMANHA, PROVAVELMENTE JAMAIS ACONTECERÁ COM VOCÊ!

Os senhores alemães me acalmaram e no fim demos umas boas risadas, eu desci do ônibus e fui fazer as compras sossegada.
É muito difícil eu ter uma opinião formada sobre isso pois morando aqui e vendo o modo de pensar da maioria dos brasileiros no momento, me fez entender que generalizar não é solução para nada e só piora a situação. O homem nasceu lá na terrinha dele, plantando, criando animais, terra aonde todas as mulheres se parecem comigo, andam cobertas e muitas são felizes assim. De repente ele foge de lá, sabe lá quantas pessoas da família dele foram mortas nessa guerra, ele chega num lugar aonde todos são loiros e se vestem esquisito, me encontra e me julga na hora como uma traidora, infiel, SUJAAAA.
Eu falo que eu tenho um alvo diretamente no meu cocoruto. Quando os deuses mandam a cota mensal de acontecimentos estranhos, com certeza um desses acontecimentos será comigo hahahaha.

Bom, essa foi a história de hoje. Espero que vocês tenham gostado, e caso queiram saber mais sobre minha vida aqui na Alemanha, CURTAM A PAGE DO FACEBOOK e SE INSCREVAM NO MEU CANAL.

A gente se fala em breve...
Bis Bald!